Comoção marca velório de mãe e filho PM mortos; 'Foi embora um pedaço de mim', diz pai do agente

08/06/2018 13:20:34



O clima é de comoção no velório do sargento da Polícia Militar Douglas Fontes Caluete, de 35 anos, e da mãe dele, Maria Fontes Caluete, de 58, mortos em Duque de Caxias, na Baixada. Ele foi executado e ela passou mal após tocar o corpo do filho. Os dois estão sendo velados na mesma capela, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

Manuel Gonçalves Calouete, de 62 anos, pai do PM, disse que deseja justiça e cobra das autoridades mais investimentos na segurança. Ele contou que o filho tinha ciência dos riscos que corria, mas nunca demonstrou medo.

Manuel Gonçalves é pai de Douglas Ferreira e foi marido de Maria José. Ele estava com ela no momento em que foram reconhecer o corpo do filho.

"Quando ela chegou para levantar o pano, ela foi caindo. Acho que no caminho ela já estava se entregando. Aí chegou no UPA de Gramacho e não suportou. Ele falava que sabia que um dia poderia ir e não voltar", afirmou.

Manuel diz ter perdido "um pedaço" de si e falou que seus filhos são seus amores. Afirmou também que o próprio Douglas tinha medo do trabalho.

Manuel conta que era divorciado de Maria José, e que morava em frente à casa dela. Eles receberam a notícia da morte do filho durante a madrugada, e foi um susto.

“Eram duas e pouca da manhã horas da manhã quando ligaram para a minha ex- esposa, e acordaram ela com a notícia de que ele estava baleado. Aí a irmã dela me gritou e falou: “o Douglas foi assassinado”. Aí eu quase caí ali, né?

— Ele gostava do que fazia. Eu nunca gostei (que o filho fosse PM). Quando ele estava se preparando para fazer o concurso (para entrar na corporação), aconselhava ele a não fazer. Ele não tinha medo, mas sabia que era perigoso, que um dia podia ir e não voltar. Era um excelente filho. São meus amores. Foi embora um pedaço de mim — lamentou.

Ele contou que Douglas tinha dois filhos: um menino de 8 anos e uma menina de 5. As duas crianças foram informadas da morte do pai, no mesmo dia, segundo o avô.

Manoel, que é desenhista de instalações, era separado da mãe do PM, mas morava próximo da casa dela. Ele contou que foi informado do crime na madrugada, assim que a ex-mulher foi avisada e os dois foram juntos para o local da execução, na Avenida Rio Branco, no Jardim Gramacho.

Douglas foi baleado na madrugada desta quinta-feira após uma tentativa de assalto em Jardim Gramacho, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os bandidos descobriram que ele era PM, mandaram que saltasse do carro, deitasse no chão e o executaram. Uma equipe da Polícia Militar foi acionada para a ocorrência e encontrou o agente de 35 anos já morto no local.

 

Douglas e Maria Fontes morreram nesta quinta-feira
Douglas e Maria Fontes morreram nesta quinta-feira 

Ao chegar à cena do crime e tocar o corpo do filho Maria, de 58 anos, desmaiou. Ela foi levada para a UPA de Sarapuí, em Caxias, mas morreu antes de chegar à unidade. De acordo com informação do atestado de óbito, a causa da morte foi um infarto.

Nas redes sociais, Maria fazia questão de exaltar o seu papel de mãe e avó. Suas últimas postagens no Facebook declaram o seu amor pelos filhos e netos. E, na foto de perfil, Douglas e outros dois homens se abraçam em imagem emoldurada por um coração.

Na última foto postada publicamente por Douglas, em julho de 2016, na qual ele aparece fardado à frente de uma viatura policial, Maria deixou um recado de afeto nos comentários e pediu proteção divina para o PM. "Lindão. Deus te abençoe, te guarde e te projeta". "Beijos, mãe. Te amo muito", respondeu o agente.

Perto do Dia das Mães, em 9 de maio, Maria usou a plataforma para ressaltar o carinho pelos netos e filhos. Foram as últimas publicações públicas dela.

"Meus filhos são o bem mais precioso que possuo. Por isso, Pai, eu te peço... Cuide deles para mim", compartilhou Maria, em texto e imagem assinados por Rosana Delgado.

 
Cinco dias antes, a mãe havia publicado outra foto de homenagem, na qual exaltava seus filhos como "meu tesouro e meu futuro" e "um tesouro que nenhum valor poderá comprar".

Há pouco mais de um mês, ela havia destacado o valor da maternidade e a relação que existe entre mãe e filhos.

"Mãe é Mãe! Ela estará com você em todos os momentos", diz a mensagem.

No Instituto Médico-Legal de Duque de Caxias, o irmão de Douglas e filho e Maria José, Rômulo Fontes, se emocionou ao lembrar do irmão e da mãe.

"Meu irmão era o amor da minha vida, eu tinha e tenho ele como um herói. A cada conquista ele me mostrava e mostrava nas redes sociais o que ele fazia pela sociedade. Só tenho a agradecer a ele pelo que ele fez pela gente", destacou, que fez questão de agradecer ao comandante do 15° BPM pelo suporte neste momento de dor.

 

Ele estava trabalhando quando a mãe foi ao local do crime reconhecer o corpo do irmão. "A minha mãe chegar ao ponto de ver o filho como ela viu, eu sabia que ela não resistiria", lamentou Rômulo.

 

Fonte Extra

 

 
 










0 Comentário


Faça login na página para fazer um comentário
Entrar