Servidora da Secretaria de Transportes do Pará é investigada por assinar ponto e ir à Rússia para torcer

Iolanda Vilhena teria preenchido a folha de pontos e ido encontrar o marido, que é presidente da Federação Paraense de Futebol. Deixa ponto assinado até o final do mês

28/06/2018 14:39:19



Belém - Uma funcionária da Secretaria de Transportes do Pará será investigada pelo Ministério Público do estado. Iolanda Vilhena teria preenchido a folha de pontos e ido à Rússia encontrar o marido, que é Adélcio Torres, presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF). O governo do Estado do Pará também abriu um processo administrativo para apurar o caso.

 

Uma série de imagens publicadas em redes sociais e reproduzidas por meios de comunicação mostram Iolanda supostamente em estádios da Rússia.

A Promotoria de Justiça da Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa instaurou na terça-feira um procedimento investigatório para averiguar possível ato de improbidade administrativa praticado pela funcionária pública.

O procedimento investigatório é de autoria do promotor de justiça Rodier Ataíde Barata e pode durar até 90 dias. Iolanda é investigada por possivelmente estar em viagem para a Rússia, mas sem autorização, licença ou férias do trabalho. "O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) recebeu denúncias do fato e instaurou o procedimento investigatório para comprovação, ou não, da suposta irregularidade", disse o órgão por meio de nota.

A investigação pretende comprovar se a viagem realmente ocorreu, se houve mesmo a assinatura da folha de ponto do mês e se há outros envolvidos no caso. Em caso de comprovação da irregularidade, a funcionária pública poderá responder por ato de improbidade administrativa, devido à violação de princípios da administração pública, podendo assim perder sua função pública. Caso não seja comprovado, o caso deve ser arquivado.  

O governo do Estado do Pará divulgou nota junto à Secretaria de Transportes dizendo que não toleram ou concordam com qualquer tipo de desvio de conduta de seus servidores. "Foi aberto processo administrativo competente para que sejam apuradas e esclarecidas supostas irregularidades, à luz da legislação vigente, com vistas à tomada de providências cabíveis", dizem os órgãos.

A reportagem procurou a Federação Paraense de Futebol (FPF) e aguarda retorno.

 

Fonte ODia










0 Comentário


Faça login na página para fazer um comentário
Entrar