Morre o ator e humorista Paulo Silvino, aos 78 anos

Humorista lutava contra o câncer. Nas redes sociais, filho lamentou a morte: 'Que Deus te receba de braços abertos'

17/08/2017 12:51:03



O ator e humorista Paulo Silvino morreu na manhã desta quinta-feira, aos 78 anos, em sua casa, na Barra da Tijuca, no Rio. A informação foi divulgada pelo filho do artista, João Paulo Silvino, que fez uma postagem numa rede social em homenagem ao pai. "Que Deus te receba de braços abertos meu pai amado", escreveu ele. O humorista lutava contra um câncer no estômago

 

 

Conhecido por personagens de TV como o policial Fonseca e o porteiro Severino. Mas ele vinha lutando contra um câncer no estômago desde meados do ano passado.

Trajetória

Filho do comediante Silvério Silvino Neto e da professora e pianista Noêmia Campos Silvino, Paulo Silvino nasceu no Rio de Janeiro, em 1939. Aos 20 anos, usando o nome Silvino Júnior, lançou o LP "Nova Geração em Ritmo de Samba" ao lado de nomes como Altamiro Carrilho, Durval Ferreira e Eumir Deodato.

Em 1966, estreou na TV Globo no programa "Canal 0", que era uma sátira da programação das emissoras de TV. A partir daí, foi destaque em vários programas da emissora, como "Faça Humor, Não Faça Guerra", "Satiricom", "Planeta dos Homens", "Balança Mas Não Cai", "Viva o Gordo" e "Brasil Pandeiro".

Paulo Silvino em cena no 'Zorra Total'Divulgação

Em 1988, substituiu o Velho Guerreiro e comandou o "Cassino do Chacrinha" várias vezes. Além da Globo, Paulo Silvino também passou pelas extintas TV Tupi, TV Continental, TV Rio e TV Excelsior. No SBT, onde esteve entre 1989 e 1992, atuou na "Praça É Nossa" e na "Escolinha do Golias".

Passou também pela Record, na "Escolinha do Barulho", em 1999. De volta à Globo, interpretou vários personagens no "Zorra Total". 

No cinema, participou de "Um Edifício Chamado 200", "Com a Cama na Cabeça", "O Rei da Pilantragem", "Minha Sogra É da Polícia" e "Sherlock de Araque".

 O ator e humorista Lucio Mauro Filho também usou as redes sociais para lamentar a morte de Silvino. Lucio Mauro relembrou a convivência com o ator desde a infância e como ele foi importante para a sua vida e carreira.

 Silvino começou sua carreira com atuações no rádio, mas já nos anos 1960 deu início a sua trajetória na TV. Autor de bordões populares, ele integrou diversos humorísticos da Rede Globo, como "Faça humor, não faça guerra" (1970), "Uau, a companhia" (1972), "Planeta dos Homens" (1976) e "Viva o Gordo" (1981). No mais recente "Zorra Total" (1999), o personagem Severino ganhou fama nacional com o bordão "cara e crachá".

 

Paulo Silvino no set de Zorra Total com Valéria (Rodrigo Sant´anna) e Janete (Thalita Carauta)
Paulo Silvino no set de Zorra Total com Valéria (Rodrigo Sant´anna) e Janete (Thalita Carauta) Foto: TV GLOBO / Renato Rocha Miranda

 

Filho do comediante Silvério Silvino Neto, o carioca descobriu sua vocação para a arte ainda na infância. Levado pelo pai, ele cresceu nas coxias de programas de rádio e peças de teatro. "Eu nasci nisso. Com 6, 7 anos de idade, frequentava os teatros de revista nos quais o papai participava. Ele contracenava com pessoas que vieram a ser meus colegas depois, como o Costinha, a Dercy Gonçalves", contou ele ao site "Memória Globo".

 

Fonte Extra/ODia










0 Comentário


Faça login na página para fazer um comentário
Entrar