Cabral, Adriana Ancelmo e Wilson Carlos são aprovados em vestibular de teologia

Ex-governador, ex-primeira-dama e ex-secretário fizeram prova no último sábado

09/12/2017 12:45:31



RIO - O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), a mulher dele, a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo, e o ex-secretário de Governo Wilson Carlos foram aprovados no vestibular de Teologia de uma faculdade no Paraná. O curso a distância, com duração de quatro anos, é oferecido pela Fabapar (Faculdades Batista do Paraná). Eles fizeram a prova no último sábado, e a lista de aprovados foi divulgada nesta sexta-feira.

 

- É uma forma de remissão de pena construtiva, ganhando cultura e conhecimento - afirmou o advogado Alexandre Lopes, que defende Adriana.

Outros presos que estão na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, também fizeram o processo seletivo. Outro aprovado é o empresário Marco Antonio De Luca, que é acusado de pagar propina a Cabral para obter contratos com o governo.

O valor do semestre na faculdade é de R$ 2.664, que podem ser pagos em seis parcelas de R$ 444.Os aprovados têm até o próximo dia 19 para realizarem a matrícula.

Em nota, a Fabapar, disse não atuar de forma direta com qualquer detento.

"Todas as provas são aplicadas pela Secretaria de Segurança Pública de seu Estado; e, a sua aplicação é realizada após verificação da mesma pelos órgãos competentes da área de Segurança Pública. Os aplicadores do teste são selecionados pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária de cada Estado. Cada preso realiza a prova em seus setores de reclusão, bem qual os demais candidatos que participam do mesmo processo seletivo na unidade da FABAPAR. Destacamos que os detentos passam pelos mesmos critérios de correções de notas e redação, como qualquer outro candidato que se dispõe à vaga, sem regalias, privilégios ou coerções de terceiros".

Ontem, o ex-governador prestou depoimento ao juiz Marcelo Bretas e, ao final, pediu a alteração da data de duas audiências para participar do Enem realizado para os presidiários. Cabral queria tentar uma vaga no curso de História. Os depoimentos estavam marcados para 12 e 13 de dezembro, mesmos dias em que o exame será aplicado aos presos.

Por conta disso, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, adiou os depoimentos para os dias 14 e 18 de dezembro. Preso desde novembro do ano passado, Cabral é formado em jornalismo.

Antes mesmo de Cabral, a defesa da ex-primeira-dama havia pedido a Bretas autorização para que ela fizesse as provas do Enem para cursar Ciências Sociais ou Letras. Adriana é advogada, mas enfrenta um processo no Tribunal de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no qual a pena máxima é a perda do registro profissional.



Fonte OGlobo










0 Comentário


Faça login na página para fazer um comentário
Entrar