Chefe de cozinha baleado ao tentar evitar roubo de celular do filho será sepultado sábado

28/09/2018 14:42:52



O corpo do chefe de cozinha Francisco Vilamar Peres, de 49 anos,que foi baleado quando tentava evitar que o celular do filho de 10 anos fosse levado por um bandido, será sepultado neste sábado, no Cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio. Segundo a família de Francisco, o horário do sepultamento ainda está sendo definido e deve ocorrer entre às 9h e 11h.

 

Franscico Peres era chefe de cozinha
Franscico Peres era chefe de cozinha Foto: Reprodução redes sociais

 

O crime ocorreu na noite desta quarta-feira, em um bar, no Rio Comprido. Imagens de câmeras de segurança, revelaram que dois criminosos chegaram a pé pela Rua Estrela. Um deles deu início à ação, roubando os celulares das pessoas que estavam na esquina do bar. Quando o bandido, que está armado, se aproxima do filho de Francisco, o criminoso aponta a arma em direção ao menino e, ao mesmo tempo, puxa o aparelho de telefone da mão dele.

Nesse momento, Francisco levanta e parte para cima do bandido, na tentativa de recuperar o celular. É quando o homem atira contra o rosto da vítima. Nas imagens, é possível ver que o menino também se levanta. Os bandidos fogem a pé pela mesma rua.

 

Na foto, policiais da DH na Praça do Rio Comprido, onde o chefe de cozinha foi baleado. Foto: Fabiano Rocha
Na foto, policiais da DH na Praça do Rio Comprido, onde o chefe de cozinha foi baleado. Foto: Fabiano Rocha Foto: Fabiano Rocha / Fabiano Rocha

 

Francisco chegou a ser levado para o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A dona de casa Conceição Vera dos Santos, viúva do chefe de cozinha Francisco Vilamar Peres, e mãe do menino de 10 anos que assistiu ao crime, está grávida de dois meses. O bebê seria o sexto filho da vítima - ele tem outros quatro filhos do primeiro casamento. Segundo a família, Vera ainda não tem condições de falar com jornalistas.

Francisco é descrito por amigos e familiares como um ótimo pai.

— Ele era uma pessoa maravilhosa. Bom pai, ótimo marido. Adorava passear com a mulher e o filho nas suas folgas. Eu deixava o meu filho com ele quando ia trabalhar. Ele estava há mais de dez anos na cozinha do Clube Militar. A gente jamais imagina que vai acontecer com a sua família. Brincávamos sempre um com o outro, com mensagens no celular. Eu pedia para ele fazer massa de pizza para mim — disse a cunhada de Francisco, a merendeira Geisa Santos, de 36 anos.

Foi na sede do Clube Militar da Lagoa, na Zona Sul do Rio, onde Francisco conheceu a atual esposa. Os dois trabalharam juntos durante alguns anos antes de terem o primeiro filho e irem morar juntos no Rio Comprido, no Centro. No trabalho, Francisco também construiu relações de amizade. A chapeira Célia Santos, de 49 anos, diz que não sabe como vai ser a volta ao trabalho e não ter mais o amigo.

— Estou de férias, nosso último encontro foi na Ilha de Paquetá, no aniversário de 10 anos do filho dele. Estávamos lá, felizes e comemorando aquela data. Ele era incrível, amado por todos — afirma.

Nesta quinta -feira, agentes da Delegacia de Homicídios (DH), que investigam o caso, estiveram no local onde o chefe de cozinha foi baleado. Eles recolheram imagens de câmeras de segurança que flagraram a ação dos bandidos.

 

Fonte Extra










0 Comentário


Faça login na página para fazer um comentário
Entrar