Na fiscalização nem tão presente, calotes continuam no sistema BRT

Promessa era presença da Guarda Municipal em 33 estações ontem, mas o DIA flagrou ausência em 14

11/10/2018 13:28:40



Rio - As estações do BRT onde a Guarda Municipal (GM-Rio) prometeu retomar a fiscalização contra calotes nesta quarta-feira não receberam os agentes, pelo menos, durante a manhã. Das 9h30 às 11h50, equipe do DIA percorreu 14 paradas do corredor Transcarioca, entre Praça do Carmo e Praça Seca, em um percurso de ida e volta. Nenhum guarda foi visto nas seis estações do trecho que já deveriam contar com ação educativa. Enquanto isso, os acessos irregulares aconteciam descaradamente. É a segunda vez que o planejamento falha em um intervalo de dez dias.

A Guarda Municipal, por nota, admitiu que houve atraso no deslocamento das equipes no Transcarioca e acrescentou que as rondas nos corredores serão itinerantes como acontece no programa Lixo Zero entre as 33 estações escolhidas para iniciar o processo de patrulhamento.

Em 1º de outubro, 40 guardas municipais começaram a circular no sistema e ficaram apenas um dia. Na ocasião, a instituição esclareceu que a saída deles foi necessária para estudar possíveis ajustes. A expectativa ontem era de que os agentes voltassem orientar os usuários sobre o início da cobrança de multa, prevista para o prazo de 40 dias. A penalidade será de R$ 170 e de R$ 255 para reincidentes e o nome do devedor poderá ser incluído nos cadastros de proteção ao crédito e na Dívida Ativa do município.

As estações percorridas pelo DIA que já deveriam ter guardas, conforme o planejamento divulgado, são Vicente de Carvalho, Mercadão, Madureira, Campinho, Capitão Menezes e Praça Seca. Apenas dois agentes foram vistos na Praça do Carmo, que não está na lista das 33 contempladas nesta fase inicial. Eles estavam em pé, fora da estação, e sem fazer qualquer ação de conscientização. Após a chegada da reportagem, a dupla foi embora. Mesmo com a presença deles, muitos passageiros entravam sem pagar cerca de um por minuto e não eram orientados.

"Hoje não teve nenhuma fiscalização em nenhuma das plataformas aqui na Praça Seca. Se colocar os guardas, acho que a medida vai dar certo, porque o vandalismo está demais. Mas até agora não apareceu ninguém. Só promessa. Calote aqui é o dia inteiro. Quebram vidraças, quebram tudo", comentou o marceneiro Elson Pereira, de 60 anos, que esperava um ônibus na Praça Seca às 11h10.

No Transcarioca, 13 das 47 estações do corredor serão fiscalizadas - Maíra Coelho

 

Só supervisão, sem panfletos

Passageiros que viram guardas municipais nas estações ontem, contaram que eles apenas olhavam e não distribuíam mais panfletos, com informações sobre a multa, como fizeram na semana passada. "Eles (guardas) chegaram em uma van e um carro, ficaram parados um pouco e depois foram embora", disse um homem, que não quis se identificar, na estação Praça Seca.

A fiscalização vale para 13 estações do Transcarioca, como Taquara e Madureira; 9 da Transolímpica, como Magalhães Bastos e Riocentro, e 11 da Transoeste, como Santa Cruz e Alvorada.

Preso por importunação no ônibus

Um homem foi preso ontem, por guardas municipais, acusado de importunar sexualmente uma mulher de 36 anos, em um ônibus do BRT Transoeste, no Recreio. Os guardas, da 4ª inspetoria da Barra, atuavam na orientação de usuários na estação Gláucio Gil, quando foram acionados pela vítima. Ela denunciou que o homem havia ejaculado nela dentro do ônibus.

Jorge de Souza Costa, 53 anos, foi preso em flagrante. Na ação, guardas impediram que passageiros linchassem o homem. Ele foi encaminhado para a 42ª DP (Recreio).

 

Fonte ODia










0 Comentário


Faça login na página para fazer um comentário
Entrar